vigilância sanitária

Multas e o fechamento de empresas que não cumprem as normas da vigilância sanitária acontecem diariamente. Conheça alguns casos e saiba por que isso acontece!

Os veículos de comunicação da região de Maravilha, Oeste de Santa Catarina, publicavam em novembro de 2017 a notícia que se transformaria em um grande pesadelo para uma família da cidade: “Vigilância sanitária interdita indústria do ramo de alimentos!”. A empresa teve suas portas fechadas por não cumprir as normas da vigilância sanitária. Um prejuízo e tanto para os familiares que tinham essa pequena indústria como principal fonte de renda.

No Rio Grande do Sul, outro caso grave virou manchete nos principais meios de comunicação locais. Em fevereiro de 2017, a notícia envolvia empresários e agentes do Ministério da Fazenda, que burlavam as exigências da vigilância sanitária: “Empresa de laticínios é denunciada por fraude em vigilância sanitária!”. O caso aconteceu na cidade de Ivoti, região metropolitana da capital Porto Alegre.

Sabe por que estamos lembrando desses dois casos? Porque boa parte das indústrias, sejam de pequeno, médio ou grande porte, fecham todos os anos por falta de uma postura adequada à vigilância sanitária ou por tentar burlá-las.

Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

Quais são as ações da vigilância sanitária?

É comum associar a vigilância sanitária à imagem de funcionários públicos fechando as portas para interditar uma empresa. No entanto, nem só de “bater o cadeado” da porta de empresas e indústrias vive o trabalho deste órgão. Sua atuação  abrange outras atividades, como a busca por caminhos de prevenção aos danos da saúde das pessoas e diminuição dos riscos provocados por problemas sanitários.

Justamente por fiscalizar e orientar sobre o funcionamento adequado aos padrões de higiene e postura, é que o órgão interdita lugares e aplica multas. E são essas multas ou fechamentos temporários que acarretam em perdas financeiras para os proprietários.

Não é raro ouvirmos relatos que tratam do fechamento de estabelecimentos comerciais em decorrência de multas de altos valores e não cumprimento das normas da vigilância sanitária. Sem contar que a imagem de uma empresa ou produto fica muito prejudicada e, em alguns casos, impossíveis de se recuperar.

Por que a vigilância sanitária fecha empresas e indústrias?

Os motivos podem variar de acordo com ramo de atuação da empresa. Entretanto, existem causas que são comuns à maioria delas: presença de insetos e roedores, alimentos mal armazenados, água inadequada para o uso, falta de prevenção de contaminações, controle de temperatura e falta de higiene em geral. Todos esses fatores colocam em risco a saúde de trabalhadores e consumidores.

A culpa das falhas, muitas vezes, está na falta de informação e capacidade técnica dos manipuladores de alimentos ou na ausência de estrutura e ferramentas próprias para armazenagem de produtos perecíveis. Tem ainda o alvará de funcionamento vencido, licença da vigilância sanitária por fazer, produtos vencidos e sem procedência confiável ou qualquer tipo de identificação.

Quem pode denunciar uma empresa à vigilância sanitária?

Qualquer pessoa pode denunciar a má conduta sanitária de uma empresa!  Portanto, empresas que cumprem as regras somente quando sabem que receberão a visita dos agentes da vigilância, podem sofrer sérios problemas a qualquer instante.

Seja o colaborador que está insatisfeito com as condições de trabalho e higiene ou um cliente que percebeu algo de errado, a denúncia é aceita e deve ser averiguada.

Para evitar que a falta do cumprimento das normas da vigilância sanitária seja motivadora da instabilidade financeira da sua empresa, siga aquele velho ditado: “é melhor prevenir do que remediar”!

Gostou do tema de hoje licença sanitária? Esperamos ter ajudado! Continue acompanhando o nosso blog, temos muitos assuntos para tratar com você. E não esqueça de seguir às normas da vigilância sanitária!